Seja Bem Vindo!

"O verdadeiro mestre é aquele que da condições para que seu discípulo o supere".

"O caráter de Cristo em nossas vidas materializa-se não pelas palavras que falamos, mas pelas nossas atitudes e exemplos. Palavras se vão, exemplos ficam". (ARAUJO, Robinson Luis)

"Liderança Cristã é a arte de influenciar pessoas, pela minha vivência espiritual, despertando o interesse em outras, para uma vida eterna com DEUS". Pr (ARAUJO, Robinson Luis)

terça-feira, 16 de julho de 2013

Amai-vos uns aos Outros, como EU vos Amei.



A palavra de DEUS em João 13:34 e 35 nos afirma: "Deixem-me dar a vocês um novo mandamento: amem uns aos outros. Assim como amei vocês, amem uns aos outros. Dessa maneira todos irão reconhecer que vocês são meus discípulos, quando eles virem o amor que vocês têm uns pelos outros". (A Mensagem).

Realmente é uma passagem intrigante, amar alguém da mesma forma que DEUS me ama, e se ela não desce? Se ela me faz ter apatia? Já sei: e se ela me magoou, eu preciso amá-la? É queridos, a resposta é sim. Amá-la da mesma forma como o Senhor nos amou e ama.

Fiquei pensando, como ama, qual o exemplo a buscar que seja palpável e esteja próximo de mim, pois DEUS estaria lá nas alturas, e cá prá nós: Ele é DEUS!

Busquei na Sua palavra e pude encontrar um modo de vida verdadeiramente cristã. Embora sejamos confrontados com uma moral tão sublime exigente que parece totalmente impossível, não ficamos impressionados com o estilo de vida que Cristo nos apresentou. Ele nos apresenta que o padrão de estilo de vida cristã é o Ágape, apresentado em João 15:13, que diz: "Deem a sua vida pelos amigos. Vocês mostram que são meus amigos quando fazem o que mando". Mas, como desenvolver esse amor humanamente?

Encontrei em Mateus 18:4 e Marcos 10:14b a 15, um exemplo que Jesus nos mostra claramente: Sermos como crianças. "Quem se tornar simples de novo, como esta criança, será o maior no Reino de DEUS" e "O Reino de DEUS é feito de pessoas que são como crianças. Prestem atenção: se vocês não aceitarem o Reino de DEUS com a simplicidade de uma criança, nunca entrarão nele".

Sermos como uma criança! Essa é a resposta e o exemplo que deve-se ser seguido. Podemos comparar ao amor de Jesus Kenosis, total auto-esvaziamento. É muito simples de ser entendido: uma criança pode até mesmo brigar com seu coleguinha, ser repreendido por seu pai e outro adulto, mas logo é esquecido e ele não guardará ódio e nem rancor, estará brincando e dando atenção. Diferente de nós adultos.

Confesso que é preciso certo tempo para assimilarmos tudo aquilo que é exigido de nós, como por exemplo o texto de Mateus 5:38-42, que nos diz: "Este é outro ditado antigo que merece nossa atenção: 'Olho por olho, dente por dente'. Pergunto se isso nos leva a algum lugar. Aqui esta o que proponho: não revide de jeito nenhum. Se alguém bater no seu rosto, ofereça-lhe o outro lado. Se alguém o levar ao tribunal e exigir sua camisa, embrulhe para presente seu melhor casaco e entregue-o a ele. Se alguém se aproveitar de você para levar vantagem injustamente, aproveite a ocasião para praticar a vida de servo. Nada de pagar na mesma moeda. Viva generosamente". Somente quando nos tornamos como crianças poderemos viver o exemplo que Cristo nos propõe!

Michel Quoist[1] diz: "Estamos contentes com nossa vidinha decente. Estamos contentes com nossos bons hábitos: nós os tomamos por virtudes. Estamos contentes com nossos pequenos esforços: nós o tomamos por progresso. Estamos orgulhosos com nossas atividades: elas nos fazem pensar que estamos nos doando. Estamos impressionados com nossa influência: imaginamos que ela transformará vidas. Estamos orgulhosos do que damos, entretanto ocultamos o que retemos. Podemos até mesmo estar confundindo um conjunto de egoísmos coincidentes com a verdadeira amizade".

Muitas vezes a Palavra de DEUS nos diz coisas que verdadeiramente não queremos ouvir. Mas, é preciso nos esvaziarmos de nosso eu, orgulho e vontades próprias para que possamos nos tornar como crianças e viver como o Senhor quer que vivamos: um evangelho sem mentiras.

Sendo como criança, tenho a possibilidade de viver o que Pedro perguntou a Jesus em Mateus 18:21 "Neste instante, Pedro teve a coragem de perguntar: Mestre, quantas vezes tenho que perdoar o irmão que me prejudica? Sete?". Jesus de imediato lhe responde no versículo 22: "...Sete é pouco. Tente setenta vezes sete". Talvez para se esquivar de se tornar como crianças Pedro fez essa pergunta. Pergunta essa que nos fazemos dia-após-dia. Somente sendo como criança, podemos chegar a esse coeficiente colocado por Jesus. 

A estrutura da igreja, que somos nós, deve revelar a marca do amor de Jesus Cristo por e através de nossa vida. Se ignorarmos podemos nos tronar poucos confiáveis e convincentes para a pregação do evangelho do Reino. 

Tenho aprendido a amar como Cristo amou. Confesso: não é fácil, mas chego a conclusão que não é impossível, basta queremos. Mas e se alguém que me ofendeu não fizer o mesmo que tenho tentado fazer? A resposta é: não é problema seu. Faça simplesmente o que o Senhor quer e o mais, Ele mesmo fará.



Pr Robinson Luis de Araujo - Aquidauana/MS
Citações: (ARAUJO, Robinson Luis)



[1]  Presbítero e escritor francês.

Nenhum comentário:

Postar um comentário